Secretaria do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Rio Grande do Sul lança o aplicativo Invasoras RS

3 de janeiro de 2019

Compartilhe isto:

A Secretaria do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema) lançou, no dia 21 de dezembro de 2018, o aplicativo Invasoras RS, que permite o registro de avistamento de espécies exóticas invasoras, como o javali. O objetivo é reunir e sistematizar informações sobre a ocorrência de espécies exóticas invasoras em território gaúcho. Dessa forma, qualquer cidadão poderá colaborar com os órgãos estaduais com informações que serão utilizadas na formulação de políticas públicas para o direcionamento de ações de monitoramento, detecção precoce e controle dessas espécies.

A diretora do Departamento de Biodiversidade da Sema, Liana Barbizan Tissiani, explica que as espécies exóticas invasoras causam enormes prejuízos à economia, à biodiversidade e aos ecossistemas naturais, além dos riscos à saúde humana. São consideradas uma das principais causas de perda de biodiversidade, atrás apenas da degradação de habitat. “A Sema reconhece o javali como espécie exótica invasora e proíbe qualquer forma de criação e manutenção desses animais na natureza”, salientou.

A Secretaria também lançará o Plano Estadual para Controle do Javali do Estado, elaborado a partir das diretrizes contidas no Plano Nacional de Prevenção, Controle do Monitoramento do Javali. 

Aplicativo

Neste primeiro módulo está disponível o registro de avistamentos de javali e cervo axis, além da possibilidade de registro de abates de javali por controladores autorizados. É um aplicativo gratuito para tablets e smartphones com sistema operacional Android a partir da versão 5.0.

Veja como usar:

Faça o download do aplicativo Invasoras RS no Google Play Store do seu smartphone ou tablet. Cadastre um e-mail e senha para enviar os registros. O cadastro pode ser feito para os perfis de colaborador (qualquer pessoa física) ou controlador (pessoa física habilitada para o controle populacional, desde que possua nº do Cadastro Técnico Federal - CTF do Ibama para esta finalidade).

Como colaborador, na opção “Registrar Avistamento” você selecionará a espécie avistada, poderá indicar o município ou optar que o sistema obtenha a sua posição geográfica automaticamente, bem como, a data do avistamento, registrar se está avistando o animal ou vestígios, a quantidade e, quando couber, o dano causado (à lavoura, à pecuária, ao ambiente).

O aplicativo funciona em modo off-line, assim o registro ficará salvo no dispositivo na opção “meus registros” e o usuário poderá enviá-lo posteriormente, usando a internet do celular, ou aguardar e enviar de outro local com wi-fi.

Para o perfil controlador, é possível registrar abates. Neste caso, além das informações da data e localização, serão solicitadas informações sobre o sexo e número dos indivíduos. Se a pessoa for um controlador autorizado, deve cadastrar-se apenas como controlador. Com este perfil, além da opção de registrar abate, poderá também informar avistamentos.

Fonte: adaptado de Secretaria do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Rio Grande do Sul

Galeria de imagens

Receba o nosso conteúdo em seu email