Salvador realiza operação inédita com embarque de peças de energia eólica para os EUA

10 de maio de 2019

Compartilhe isto:

Fabricadas em Camaçari, peças  serão embarcadas no Porto de Salvador no navio Bahri Jeddan, de bandeira Arábia Saudita

Habituado a receber equipamentos para a produção de energia eólica, para atender projetos em implantação na Bahia ou mesmo em outros estados do Nordeste, o Porto de Salvador iniciou na última terça-feira (07) uma operação inédita. Desta vez, o movimento é de saída. Pela primeira vez, o local realiza uma operação de embarque de equipamentos do tipo para atender um projeto na cidade de Houston no estado do Texas nos Estados Unidos. 

A operação também marcou a primeira oportunidade em que o navio Bahri Jeddan, de bandeira da Arábia Saudita, atracou na América do Sul. O cronograma prevê que a embarcação deixe a capital baiana na noite desta quarta-feira (8) carregada com 24 naceles, 24 geradores e 24 hubs, que foram produzidos na General Eletric (GE), em Camaçari.

As peças são consideradas carga de projetos de alto valor agregado e estão programados mais cinco embarques para os EUA, no valor de R$ 300 milhões.  Estes equipamentos, antes do embarque, foram estocados no pátio de armazenagem do porto e é necessário toda uma operação especial que envolve equipamentos diferenciados, segundo informações divulgadas pela Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba). 

O navio irá utilizar o tug master e plataforma mafi, próprios para operações portuárias e reportuárias, próprios para atividades que exigem manobras em pouco espaço físico. A plataforma mafi é como um trailler de carga especial, que é utilizado em operações com navios roll-on rool-off, para deslocamento de cargas de grandes dimensões e pesos acima de 30 toneladas.

“Até o final do ano, serão realizadas exportações de 120 kits de componentes eólicos, produzidas na Bahia, para os Estados Unidos”, informou do diretor de Gestão Comercial e de Desenvolvimento da Codeba, Fábio Luiz Lima de Freitas. “Estas operações comprovam que o porto da capital baiana tem capacidade e posicionamento estratégico para a importação e exportação das cargas de projetos, dentre elas as eólicas”, destacou.

“Como transportar esses materiais através do mar é uma forma mais segura para o setor, além de diminuir o tempo de exposição da carga, de alto valor, nas rodovias, a Codeba em conjunto com os operadores vem, desde 2017, adotando incentivos visando ampliar este tipo de operação no Porto de Salvador”, ressaltou Fábio Freitas.

Energia renovável na Bahia
A Bahia ultrapassou, neste mês de abril, o Rio Grande do Norte, em número de parques eólicos em operação, segundo dados da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDE). A expectativa é que ainda este ano a Bahia assuma o primeiro lugar em potência instalada, já que estão sendo construídos 38 parques eólicos. Para isso, o Porto de Salvador também tem sido a porta de entrada para peças como torres, pás, chapas de aço, turbina, hubs, naceles e peças que compõem um aerogerador, para geração de energia renovável.

Fonte: Correio da Bahia

Galeria de imagens

Receba o nosso conteúdo em seu email