Leilão de transmissão da ANEEL termina com 55,26% de deságio médio

29 de junho de 2018

Compartilhe isto:

O leilão de transmissão da ANEEL nº 2/2018 negociou, ontem, dia 28 de junho, na sede da B3 em São Paulo, 20 lotes com empreendimentos de transmissão de energia elétrica que propiciarão investimentos da ordem de R$ 6 bilhões. 

No total,  47 empresas e consórcios participaram do leilão, que, entre os 20 lotes, negociou 2.560 km de linhas e 12.226 mega-volt-amperes (MVA) de potência de subestações, que além dos investimentos diretos, deverão também gerar aproximadamente 13,6 mil empregos. 

Neste leilão, as empresas declaradas vencedoras foram as que apresentaram o menor valor de Receita Anual Permitida (RAP), em reais por ano. A RAP corresponde a receita a que o empreendedor terá direito pela prestação do serviço de transmissão a partir da entrada em operação comercial das instalações, que poderá variar de 36 a 63 meses, prazo estabelecido para a operação comercial.

O diretor da ANEEL, Sandoval Feitosa ressaltou ainda o expressivo deságio médio alcançado no leilão, de 55,26%, e seus efeitos para a modicidade tarifária. "O leilão foi um sucesso, com o maior deságio médio dos últimos 20 anos", afirmou.

O maior deságio do leilão, correspondente a 73,92%, ocorreu no lote 10 e a maior disputa aconteceu no lote 19 arrematado pela Energisa S.A após 15 lances.

Marcado para iniciar às 9h, a concorrência ficou suspensa por 7 horas, e o leilão só teve início às 16h. Este atraso foi decorrente de uma ação judicial impetrada pela empresa Jaac Materiais e Serviços de Engenharia, que recorreu à Justiça após ficar de fora do leilão por falta das garantias necessárias à participação, de acordo com o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco.

A Jaac, que conseguiu o direito de participação, estava interessada no principal lote do certame, o terceiro, referente às linhas de transmissão no Ceará e Rio Grande do Norte. O lote foi vencido pela empresa indiana Sterlite Power Grid Ventures Limited.

A grande vencedora do leilão foi a Sterlite Power Grid Ventures Limited. A empresa arrematou 6 lotes no certame, sendo que entre eles, os Lotes 3 e 7, que tinham as maiores extensões em quilômetro (541 e 454 km, respectivamente). A Sterlite ainda levou os Lotes 4, 12, 15 e 20.

O consórcio Lyon Energia, formado pelas empresas Lyon Infraestrutura, Gestão e Desenvolvimento de Projetos e pela PLM Empreendimentos Imobiliários, estreante no mercado de transmissão, também levou três lotes: Lotes 6, 11 e 18.

Clique aqui para conhecer a lista completa dos vencedores do leilão.

Fonte: Adaptado de ANEEL e Money Times.

Galeria de imagens

Receba o nosso conteúdo em seu email